Arquitetas, designers e artistas plásticas influentes no cenário nacional e internacional

Arquitetas, designers e artistas plásticas influentes no cenário nacional e internacional

Carolina Bueno

Faz parte da nova geração de profissionais. A arquiteta é sócia-fundadora do escritório franco-brasileiro, o Triptyque Arquitetura, ao lado de três amigos, que conheceu na Escola de Belas Artes de Paris. A empresa se divide entre a capital francesa e São Paulo. Reconhecida por sua obra contemporânea e experiências na construção sustentável, foi convidada a realizar instalações e performances apresentadas na Bienal de Hong Kong/Shenzen; no museu Guggenheim de Nova York; no Festival of Architecoture e no Victoria & Albert Museum, em Londres, além de estar presente na coleção permanente do Centro Pompidou, em Paris.

 

Gae Aulenti (1927-2012)

Intitulada pela Academia de Artes de Brera como “A Dama da Arquitetura”, destacou-se nas áreas de arquitetura, design, cenografia, interiores, além de estudar edifícios históricos. Como designer, um dos primeiros projetos foi a cadeira Sgarsul, em 1962. Acumulou também diversas obras de museus, entre os quais o d’Orsay, de Paris; a Galeria de Arte Contemporânea, no Centro Pompidou, na mesma cidade; a restauração do Palácio Grassi, em Veneza e o Museu de Arte Asiática, em São Francisco. Aulenti  colaborou ainda com empresas de design, como Artemide, Fontana Arte, iGuzzini, Knoll, Martinelli Luce e Zanotta.

 

Janete Costa (1932-2008)

A arquiteta e designer pernambucana projetou bibliotecas, edifícios públicos, galerias, hotéis, prédios corporativos e residenciais, teatros, museus, e muitas outras tipologias de edificações. O objetivo sempre foi fazer com que a arte e o artesanato popular, assim como a arquitetura e o design, expressassem a identidade brasileira. Em projetos de interiores desenhava praticamente tudo, desde a cadeira à luminária, a partir de materiais como a madeira, o metal, o vidro, o mármore e as fibras naturais. Foi consultora de interiores em restaurações de sítios históricos, como o Teatro de São Luís; o Palácio dos Leões; o Solar do Jambeiro e a Igreja São Lourenço dos Índios, em Niterói.

 

Kazuyo Sejima

Depois de passar pelo escritório do arquiteto Toyo Ito, em 1987, abriu o próprio estúdio em Tóquio e, em 1992, foi nomeada pelo Japan Institute of Architects a "Jovem Arquiteta do Ano", no Japão. Além de sua terra natal, possui projetos em países como Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Estados Unidos. São de autoria de Kazuyo o Prédio da Christian Dior, em Tóquio; o Pavilhão de Vidro do Museu de Arte de Toledo; o Novo Museu de Arte Contemporânea, em Nova York. Também conquistou o Prêmio Pritzker, em 2010.

 

Lina Bo Bardi (1914-1992)

Pode ser considerada à frente de seu tempo, pois viveu em um período em que as mulheres não desfrutavam de tantos direitos. Além disso, tinha um modo de projetar desprovido de formalidade, o que não era comum à época. Nascida em Roma, na Itália, mudou-se para o Brasil em 1946. Um ano depois criou o Museu de Arte de São Paulo (MASP), que se tornou um dos mais importantes da América Latina. Outra obra emblemática foi a Casa de Vidro – morada da arquiteta por 40 anos. O SESC Pompeia também surgiu como grande desafio, quando Bo Bardi teve de transformar as instalações de uma antiga fábrica em um espaço de promoção cultural.

 

Marion Mahony Griffin (1871-1961)

Foi uma das primeiras mulheres a receber o título de arquiteta, após estudos no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Trabalhou por 14 anos no escritório de Frank Lloyd Wright. Porém, um dos destaques na carreira foi projetar a nova capital da Austrália –Camberra – junto com Walter Burley Griffin, seu marido.

 

Olga krell (1935-2015)

Não poderia deixar de ser citada. Apesar da formação em arquitetura, sempre atuou como jornalista. A “dama da decoração”, como era chamada, teve como mestres, na Universidade de Cornell, os arquitetos Frank Lloyd Wright e Charles Eames. Na área editorial começou a carreira na Editora Abril, na cozinha experimental da revista CLAUDIA. Após lançar edições especiais sobre arquitetura e decoração, as leitoras tomaram gosto pelo assunto, até que mais tarde tornou-se diretora de redação da CASA CLAUDIA, que ajudou a criar. Assim como a amiga Janete Costa, foi grande incentivadora do artesanato brasileiro, mais especificamente advindos da feira de Caruaru (PE).

 

Rosa Kliass

Pioneira no paisagismo brasileiro, a   arquiteta recebeu vários prêmios nacionais e internacionais. Entre os projetos relevantes estão o Parque da Juventude; a reurbanização do Vale do Anhangabaú, junto com Jorge Wilheim; o Parque do Abaeté e o Parque de Esculturas do MAM-Bahia, em Salvador; o Parque Mangal das Garças e o Projeto Feliz Luzitânia, em Belém, entre muitos outros.

 

Tasila do Amaral (1886-1973)

Uma das maiores pintoras modernistas brasileiras, nos anos de 1920, em Paris – capital onde viveu por anos –, teve o privilégio de participar de toda efervescência cultural da época. De volta ao Brasil, a amiga Anita Malfatti a introduziu no Movimento Modernista. Suas telas sempre valorizaram o Brasil, a partir do uso de cores como amarelo, azul, rosa, entre outras. A obra mais conhecida de Tarsila é o Abaporu, que simbolizou um Movimento Antropofágico, cujo objetivo era engolir a cultura europeia.

 

Tomie Ohtake (1913-2015)

A artista plástica tornou-se uma espécie de embaixatriz das artes e da cultura no Brasil. Natural do Japão, começou a pintar aos 40 anos e provou que talento não tem a ver com idade. Destacou-se não só na pintura, como também na gravura e escultura. De 2009 a 2010, as esculturas da artista chegaram aos jardins do Museu de Arte Contemporânea de Tóquio, no Japão. A extensa trajetória de Tomie inclui a participação em 20 Bienais Internacionais, sendo seis em São Paulo – uma das quais recebeu o Prêmio Itamaraty. Também esteve na Bienal de Veneza, de Tóquio, de Havana, de Cuenca, entre outras. Contabilizou, ao todo, mais de 120 exposições individuais.

 

Zaha Hadid (1950-2016)

A arquiteta iraquiana, radicada em Londres, ficou conhecida por obras inovadoras, com formas orgânicas; reverenciadas por uns, criticada por outros. Primeira mulher a vencer o Prêmio Pritzker, considerado o "Nobel da arquitetura" (2004), além de ter recebido o Medalha de Ouro do British Architects Gold Medal (2016). Entre os principais projetos estão o Vitra Fire Station, na Alemanha; Maxxi (Museo Nazionale delle arti del XXI secolo), primeiro museu de arte contemporânea de Roma; Centro Aquático de Londres, desenhado para os Jogoótis Olímpicos no Brasil; Guangzhou Opera House, na China; entre muitos outros. Zaha também desenhou uma linha exótica de sapatos femininos.

 

 

 

 

 

 

 

Club&Casa Design

Por

Club&Casa Design

Empresas especializadas: o segredo da reforma sem dor de cabeça

Empresas especializadas: o segredo da reforma sem dor de cabeça

    Reforma de casa é sonho de muitos que acaba virando pesadelo de alguns. Isso porque repaginar o lar requer organização e planejamento para evitar surpresas desagradáveis que vão muito...

 Luminotecnia leva eficiência e beleza à arte de iluminar

Luminotecnia leva eficiência e beleza à arte de iluminar

* as imagens são apenas ilustrativas    Vai distante o tempo em que casa bem iluminada era aquela sem pontos de escuridão. Mais que simplesmente levar luz a ambientes, a iluminação do s&eacu...

Papel de parede, o revestimento versátil e colado às tendências

Papel de parede, o revestimento versátil e colado às tendências

  Ele já foi tachado de antiquado, mas de uns anos pra cá voltou com força total. Prático, fácil de aplicar e de limpar, é um dos elementos decorativos com maior poder de transformar a...

Bonitas e funcionais, esquadrias de PVC abrem portas no mercado nacional

Bonitas e funcionais, esquadrias de PVC abrem portas no mercado nacional

  Depois de uma bem-sucedida carreira de 30 anos na indústria automobilística, o engenheiro Carlos Thenório resolveu que era hora de novos desafios. Em 2014, fundou a Thenco Soluções Residenci...

Lounge Multimídia da 20ª Santos Arquidecor é assinado por Graziane Oliveira

Lounge Multimídia da 20ª Santos Arquidecor é assinado por Graziane Oliveira

   Realizada em um conjunto formado por três casas, em Santos, litoral Sul de São Paulo, a Santos Arquidecor 2018 tem como conceito "Arte" – referência ao talento dos profissionais envolv...

Mobiliário assinado põe design em evidência e dá status

Mobiliário assinado põe design em evidência e dá status

      Móveis têm, antes de tudo, uma função. Sofá para relaxar, mesa para jantar, cadeira para sentar. Afora a utilidade evidente, é o design que vai nortear a predileç&a...